T.P.M: conheça a Manutenção Produtiva Total

As empresas do setor industrial se preocupam cada vez mais em otimizar e conservar o desempenho de suas respectivas máquinas. Cada vez mais, as companhias usam políticas de manutenção para melhorar seus lucros e minimizar custos específicos para manter as máquinas funcionando na sua capacidade máxima.

Uma das técnicas de manutenção bem mais conceituadas no mercado é a Manutenção Produtiva, ou T.P.M. Ficou curioso? Entenda no post de hoje o que é a T.P.M e como ela vai revolucionar a manutenção e produção da sua empresa!

O que é T.P.M

O T.P.M (Total Productive Maintenance) ou Manutenção Produtiva Total é um método japonês para evitar perdas, reduzir paradas de manutenção, otimizar processos e reduzir os custos globais da produção.

O diferencial dessa técnica está em integrar os setores de manutenção e operações. Em outras palavras, trata-se de um gerenciamento que gera um comprometimento dos colaboradores, tornando-os integrantes dos processos de conservação do maquinário.

Os benefícios da T.P.M.

A Manutenção Produtiva Total busca aumentar a produtividade da empresa, eliminando as 6 perdas sofridas quando os aparelhos são danificados: quebras, que dizem respeito à quantidade de itens não produzidos quando o equipamento quebra; setup  ou ajustes, o número de produtos que deixaram de ser produzidos pelas máquinas que se encontram em ajustes; tempo ocioso ou pequenos intervalos, relacionado aos produtos que deixam de ser fabricados em decorrência das paradas para manutenção corretiva; baixa velocidade, relacionada à perda de produção quando os aparelhos estão sendo operados em uma velocidade menor que o habitual; qualidade insatisfatória, ou seja, os insumos perdidos quando apresentam problemas durante a operação; e por fim as perdas com start up, ou seja, os produtos perdidos quando as máquinas apresentam problemas antes de entrarem em operação.

Em outras palavras, os benefícios da T.P.M. melhoram a disponibilidade do equipamento, a eficiência do aparelho e a qualidade do maquinário.

Os pilares da T.P.M

A Manutenção Produtiva Total é baseada em 8 pilares para evitar as perdas aqui apresentadas e melhorar a produtividade da empresa.

1. Manutenção autônoma

Trata-se de capacitar os colaboradores, tornando-os aptos para promover melhorias na produtivdade do seu setor. Para isso, realiza-se uma limpeza inicial do setor, retiram-se as fontes de sujeiras e eliminam-se os locais de difícil acesso. Então, elabora-se uma política de limpeza, inspeção e lubrificação e uma inspeção geral do ambiente e das máquinas. A partir daí, o objetivo é estabelecer uma inspeção autônoma — ou seja, o próprio operário verifica o desempenho da máquina por ele operado – uma padronização e o gerenciamento autônomo.

2. Manutenção planejada

A manutenção planejada tem como principal objetivo eliminar as perdas que possam ocorrer devido às quebras parciais ou totais das máquinas. Com um trabalho integrado entre diretoria e equipe operacional, esse pilar parte do estudo sobre as condições básicas e atuais dos instrumentos, da otimização dos atuais métodos e da padronização das técnicas de manutenção para aplicar estratégias para aumentar a vida útil do equipamento e controlar as inconveniências que possam acontecer com as máquinas e melhorar a eficiência dos processos de inspeção e diagnóstico. Além disso, nesse pilar realiza-se também um diagnóstico geral do instrumento avaliado, para que seja feito o uso correto do maquinário até o seu limite.

3. Melhorias específicas

A meta do terceiro pilar é aumentar a eficiência dos equipamentos, ou seja, maximizar os seus desempenhos. Para isso, é necessário reduzir grandes paradas, que atrapalham o processo produtivo; melhorar a eficiência global do maquinário; aumentar a produtividade do trabalho; automatizar parte do processo produtivo; reduzir custos e aumentar a disponibilidade no horário noturno.

4. Educação e treinamento

Trata-se de qualificar os funcionários, tornando-os habilitados para desenvolver as atividades de manutenção com responsabilidade e segurança, promovendo um ambiente de trabalho saudável. Para implementar o pilar de educação é preciso determinar o perfil dos operadores, avaliar a situação atual de qualificação dos trabalhadores, elaborar e implementar um plano de treinamento, avaliar o aprendizado dos funcionários e, por fim, analisar atividades e estudos de métodos para cursos ou atividades futuras.

5. Manutenção da qualidade

Desenvolver esse pilar é necessário para dar continuidade aos métodos de redução dos defeitos das máquinas. Para implementá-lo, deve-se levantar a situação da qualidade; restaurar e eliminar as causas da deterioração e estabelecer as condições e melhorias para que as máquinas fiquem livres de defeitos.

6. Controle inicial

O controle inicial é o intervalo de tempo entre a fase de especificação da máquina e a entrega do equipamento ao departamento de produção, para que opere plenamente. Sua implementação passa pela análise da situação atual, o estabelecimento de um sistema de gerenciamento da fase inicial; a aprimoração e o treinamento do novo sistema estabelecido de manutenção e, por fim, a aplicação efetiva do novo sistema de gerenciamento da fase inicial.

7.  T.P.M. administrativo

Esse pilar está relacionado à condução do programa e à formação de equipes para implementar melhorias, atuando nas resoluções dos problemas. Para solucioná-los, é utilizado a MASP (Metodologia de Análise e Solução de Problemas). As perdas que são geradas nos processos produtivos são analisados e contabilizados nesse pilar.

8. T.P.M. segurança, saúde e meio ambiente

Esse é o pilar responsável por manter em índice zero os acidentes, as doenças e danos ambientais. As fases de implementação são a identificação de perigos, riscos, impactos e aspectos; a eliminação desses perigos; o estabelecimento do controle de riscos e impactos; a criação de cursos de qualificação em segurança, saúde e meio ambiente; a inspeção de segurança e a padronização de uma gestão autônoma.

Além da manutenção

Com os benefícios apresentados aqui, como o aumento da política de manutenção e produtividade derivado dos 8 pilares, percebe-se que a T.P.M. vai além das técnicas de manutenção preventiva e preditiva. Trata-se de um conjunto de técnicas que capacita também as pessoas, tornando-as responsáveis pelos instrumentos com que trabalham, valorizando-as e motivando-as.

Com um quadro de funcionários mais qualificado e motivado, sua empresa se torna uma referência no mercado de trabalho e sua produção será um diferencial reconhecido pelos clientes e outras companhias.

Portanto, a manutenção em um mercado tão competitivo e global é um diferencial para qualquer empresa. Ela vai otimizar processos, evitar perdas e reduzir os custos da empresa.

Viu como a Manutenção Produtiva Total pode ser benéfica para sua companhia? Já conhecia essa técnica? Compartilhe suas experiências e ideias comentando esse post!